segunda-feira, 1 de agosto de 2016


Que seja leve o luto
Leve a dor aguda
e a memória
oca

Que tenha nascido comigo

essa força
e o riso
e esse olhar para o mundo

Que eu jamais tenha precisado dele

Que ele nunca nem tenha existido

E eu levaria a vida

Leve
O ar sem esse peso
Morto

Um comentário:

Anônimo disse...

Fui navegando a toa e encontrei o seu blog. Gostei. Eh bom ver talento na terrinha.

Tudo de bom.
Jacque Smith
San Diego, CA